sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Olhares e escolhas

Hoje pela primeira vez na minha piccola citá cruzei meu olhar com uma mulher bonita. Finalmente. Ela devia ter entre 22 e 26 anos, estatura média, cabelo escuro e olho colorido. Um tipo bem comum na Europa, mas é claro que longe daqui - na civilização.

Avistei a primeiramente com o seu companheiro, um sujeito meio grande / meio gordo muito mal vestido e com aqueles cabelos rastafari gigantes, algo que nem os negros mais usam. Parecia baterista ou batedor de badulaque em qualquer uma dessas bandas brasileiras que querem alguma coisa mas não chegam a lugar algum.

Nos cruzamos mais uma vez lá, é claro, no corredor das bebidas. Nisso, o citado rapaz dá as costas para ela e some. A menina logo se posta do meu lado em silêncio e a gente fica olhando para a prateleira durante pelo menos 1 minuto. Eu fiquei parado na expectatica de como essa inusitada cena iria se desfazer. O lugar que olhávamos estava vazio e do nada, eu reparo que ela olha para mim. Eu olho de volta. Eu, obviamente, não sabia o que ela estava pensando, mas me divirto em dizer que sua cara se comunicava assim: Não adianta, acho que vamos ficar sem Coca-Cola mesmo. O meu, olhava de volta enquanto eu pensava:

Eu não sou responsável pelas escolhas de ninguém.

Ela saiu de mão vazia para o caixa e eu fui de Sprite, óbvio!

2 comentários:

WELITON LOPES disse...

boa historia brother

WELITON LOPES disse...

gosto muito de seu blog historia boa