segunda-feira, 3 de agosto de 2009

The Pursuit

Ontem parei para rever um filme que estava passando na HBO. Possivelmente a primeira vez que eu paro por mais de 100 minutos na frente de um filme em 2009. “Descrente da arte cinematográfica”, me foi bom esse tempo pois muita coisa aconteceu nesse semestre e a percepção que eu tive da composição artística e/ou comercial dos longas me foi diferente de um modo muito interessante.

Pois bem, estava eu na devagar noite de domingo com olhos para Em busca da felicidade, filme que quase deu a estátua de ouro para o ator Will Smith. Já o tinha assistido no cinema quando do seu lançamento, mas foi muito bom para aterrissar.

É para lembrar que a vida é ótima.

A única coisa que ele tinha era um sonho. Só isso. É não ter dinheiro para pagar o aluguel, é não ter para pagar a conta, é não ter para o táxi, não ter...

É não ter casa, transporte, um lar, uma pessoa para amar.

É realizar, é conseguir, é acordar para o sonho e não ter com quem compartilhar... são lágrimas que se formam no frio e escorrem no vazio.

E ele conseguiu.

É abrir um e-mail 30 minutos depois e saber que o namorado da amiga está num hospital contando os minutos que resta vitimado por uma leucemia. É começar uma segunda-feira envergonhado de reclamar da vida.

É estar protegido do frio dentro de seus confortáveis lares insatisfeito com a aparência do corpo, com o pH da pele, com a insistente e invisível gordura, com a tonalidade e textura do cabelo. É o carro que a gente não tem. A viagem que a gente não consegue fazer. A pessoa que não nos quer. A pessoa que a gente tem. O amigo que está ocupado. A música que não nos agrada. A cidade que se está. O tempo que se apresenta.

O tempo: se apresenta.

Apresente-se.

Um comentário:

Luciane disse...

Muito bom! Eu sinto essa sacolejada todos os dias, e ajuda muito a reestabelecer prioridades. E o que mais me chamou a atenção nesse filme é que mesmo cada vez mais na m****, o personagem não deixa de ser gentil, de agradecer às pessoas. Chega até a dar uma ponta de incomodação, de tão bom. Mas nada como começar uma segunda-feira, assim, agradecendo simplesmente por estarmos vivos e bem, até que se prove o contrário! :)